domingo, 2 de setembro de 2007

Teu medo me afasta
Questiono o peito
Se ele acha graça.
Tenho uma imensidão
De vontades
Descobertas
Assopros
Tenho anseio de vida
Estou com asma
Meus pulmões pedem mais
Desse vício triste deFlorbela
E desse vício doceDe Quintana
Eu me embriago,
trago
Absorvo.
Subo,
E nos cantos
Apoio os ombros
Desculpe não posso te ajudar
Eu preciso desse novo ar!
Só mais um suspiro?

Um comentário:

Alexandre Spinelli disse...

É... acho que sofro desse vício poético de Giulliana...