domingo, 2 de setembro de 2007


Resolvi escrever-te essa noite,

Sem rimas, sem tempo, sem medo.
Como já esperava,

Cansou de desejos superficiais!

De repetidos e medrosos desejos de paz,

De encaminhados afetos sem mais.
Voltou pra cantar,

sorrir, seguir,

Passar!


Pode ser que tudo dê errado,

Que os planos não sejam mais exatos,

E os sonhos não mais intactos!
Mas só eu sei o que te faz pulsar!

O que te faz orar!

E até esse momento só eu sei,

Sorrir, seguir, passar!


Nada de certo,

Cigarros,

Alta ansiedade,

Medos, segredos,

Limites, instintos, riscos,

Vida demais.

2 comentários:

SONINHA PORTO disse...

Vida demais!

Liza Leal disse...

É mta vida tbm percorrer esse espaço lindo q criastes e cada dia q passa - melhor... mais e mais! =)